SEIS DIFERENÇAS CULTURAIS ENTRE OS ESTADOS UNIDOS E A EUROPA

 

Quando aprendemos inglês, ouvimos muito sobre a diferença entre o “inglês americano” e o “inglês britânico”. Porém, ao focarmos apenas nas diferenças idiomáticas, nos esquecemos de pensar sobre as variações culturais por trás disso. Toda língua é, sobretudo, um produto cultural, ou seja, um idioma nasce na necessidade de um povo em comunicar o que vive no seu dia a dia. Por isso, ao aprendermos uma língua, precisamos sempre conhecer e refletir acerca da cultura do falante nativo daquele idioma. Se pensarmos o inglês dentro dos nossos parâmetros culturais, muita coisa vai sempre parecer estranha e ser de difícil “digestão” pelo aluno brasileiro.

Então, vamos fazer um tour pela cultura americana e europeia? Dentre as muitas diferenças existentes, observaremos hoje seis delas:

 

1 – Data e hora

Os americanos consideram o domingo o primeiro dia da semana e o sábado o último, mas os europeus consideram que a semana começa na segunda-feira e termina no domingo, como nós. Os americanos costumam usar o formato de MÊS-DIA-ANO para datas, enquanto na Europa o formato mais usual é como o nosso: DIA-MÊS-ANO.

Em praticamente todos os países onde o idioma nativo é o inglês, europeus ou não, a hora costuma ser usada no sistema de 12 horas (a.m. & p.m.), e não de 24.

 

2 – Percepção de Tempo e Distância

Nossa percepção é moldada pelo nosso ambiente. Uma igreja de 100 anos é considerada antiga para os americanos, mas é considerada nova para os europeus. Isso porque a história da Europa é incrivelmente mais antiga, com igrejas datando de cerca de 300 A.D.,  enquanto a Declaração da Independência que deu origem ao Estados Unidos como nação só foi assinada em 1776, com suas igrejas mais velhas datando de cerca de 1600 A.D. (“A.D.” significa “anno domini”, do latim, que quer dizer “no ano do nosso Senhor”, ou seja, “depois de Cristo”, em oposto a “B.C.”, que significa “Before Christ” – “antes de Cristo”).

A distância é igualmente influenciada pelo ambiente. O território da Europa é muito menor e mais comprimido entre seus países que o dos Estados Unidos, que tem duas vezes e meia o seu tamanho. Por isso, para um europeu, dirigir 100 km significa uma distância muito longa, pois há muito mais lugares percorridos numa distância dessas do que ocorre nos Estados Unidos, que percebe os 100 km como sendo uma distância muito pequena.

 

3 – Política

Os europeus são mais liberais quanto ao consumo de álcool, o aborto, a prostituição e o uso de algumas drogas (versões sintéticas da maconha, ecstasy e LSD são fabricadas em laboratório e vendidas legalmente em alguns comércios de rua), mas não permitem que menores de 18 anos dirijam um carro.

Já os americanos são mais liberais quanto ao porte de armas e permitem a um adolescente entre 14 e 16 anos dirigir. Eles também são muito mais rígidos quanto ao álcool, e não é permitido seu consumo em vias públicas.

 

4 – Idiomas

O aprendizado de língua estrangeira é obrigatório desde o ensino fundamental nas escolas europeias, e as crianças aprendem cerca de 3 ou 4 idiomas. Essa cultura educacional é muito provavelmente influenciada pela condição geográfica da Europa, pois as divisas entre países são mais próximas e numerosas, o que torna o conhecimento de outros idiomas uma necessidade prática.

Já os americanos não costumam ter no currículo escolar a necessidade de aprender outros idiomas. Isso possivelmente se deve ao fato não só do país ter um território muito amplo, o que reduz a necessidade prática de utilizar um outro idioma, como também por ser o próprio idioma nativo deles a língua franca da atualidade. Algumas escolas, no entanto, oferecem o ensino de uma segunda língua que o próprio aluno escolhe, geralmente o francês ou o espanhol.

 

5 – Patriotismo

Nos Estados Unidos, ser patriota é uma febre nacional, é um modo de vida. Quando você viaja para lá, vê muitas casas com a bandeira do país afixada do lado de fora. Muitas pessoas levam para o lado pessoal críticas ao governo ou à situação do país, ou seja, não é uma boa ideia chegar lá e ficar criticando ou fazendo piadas do governo como fazemos por aqui.

Já na Europa, as pessoas não costumam se importar em discutir abertamente os problemas do governo ou país. O patriotismo não é forte entre os europeus.

 

6 – Religião

Os Estados Unidos são muito mais religiosos que a Europa. O nome de Deus é muito usado inclusive na política, o que já não é prática bem recebida na Europa, que defende a neutralidade da política quanto a posicionamentos religiosos.

Nos Estados Unidos, a religião é uma prática comum de socialização e as idas à igreja aos domingos são parte integrante da cultura popular. Na Europa, no entanto, com exceção de países como a Espanha e a Polônia, que são um pouco mais religiosos, a religiosidade não costuma ser popular e restringe-se, na maioria das vezes, a eventos isolados, como casamentos e funerais.

Nos Estados Unidos, é ofensivo dizer publicamente que não se crê em Deus, enquanto que na Europa, há liberdade nesse sentido.

 

 

Quanta variação há no mundo, não é mesmo?! Com a forma de pensar e se expressar das pessoas não poderia, portanto, ser diferente! Quando um dia você for para a Europa ou para os Estados Unidos, já terá uma boa ideia de certos aspectos culturais importantes por lá.

 

See you soon!

Oldcastle School of English

Barueri e Osasco – SP